Um diagrama de Pareto é uma ferramenta poderosa que pode ser usada para ajudar a identificar as causas principais das falhas de manutenção. Ao priorizar as causas mais comuns de falhas, você pode concentrar seus esforços na abordagem dos problemas que terão o maior impacto. Nesta postagem do blog, mostraremos como usar um diagrama de Pareto para ajudar a melhorar seu programa de manutenção.

#O que é um gráfico de Pareto?

Um gráfico de Pareto é uma ferramenta gráfica usada para exibir as proporções relativas de ocorrência de valores diferentes. Na melhoria da qualidade, é usado como uma forma de identificar quais fatores são responsáveis pela maioria dos problemas, para que os recursos possam ser focados em abordar esses problemas primeiro.

Ao investigar falhas na máquina, os engenheiros geralmente usam um gráfico de Pareto para ajudar a identificar quais fatores são responsáveis pela maioria dos problemas. Isso permite que eles concentrem seus recursos em resolver esses problemas primeiro. Ao fazer isso, eles geralmente podem obter uma grande redução no número total de falhas da máquina.

O Software de gestão da manutenção SGMAN utiliza e plota automaticamente gráficos de Pareto para análise de falhas e paradas.

#Conceito 80/20 de Pareto

É amplamente utilizado em muitos campos diferentes, como gerenciamento de qualidade, gerenciamento de projetos, Six Sigma, fabricação e assim por diante. Em resumo, o princípio de Pareto afirma que 20% do esforço produz 80% dos resultados. Os 80% restantes do esforço produzem apenas 20% de resultados adicionais.

Em aplicações industriais, podemos usar o gráfico de Pareto para determinar as principais causas de falhas na máquina, para que possamos tomar medidas corretivas para melhorar a confiabilidade geral de nossas máquinas. Por exemplo, se tivermos uma lista de 10 possíveis falhas na máquina e quisermos saber quais são as mais críticas, podemos simplesmente colocá-las em ordem decrescente e criar um gráfico de Pareto.

#Por que usar um gráfico de Pareto para análise de falhas?

O gráfico de Pareto é uma ferramenta gráfica que pode ser usada para identificar os problemas ou causas mais comuns de algo. No contexto das falhas da máquina, isso significa que o gráfico de Pareto pode ser usado para identificar quais tipos de falhas estão ocorrendo com mais frequência. Essas informações podem então ser usadas para direcionar áreas problemáticas e melhorar a confiabilidade geral.

Há algumas etapas envolvidas no uso de um gráfico de Pareto para análise de falhas da máquina:

  1. Colete dados sobre todas as falhas que ocorrem durante um período de tempo. Esses dados devem incluir informações sobre o tipo de falha, bem como quando e onde ela ocorreu.
  2. Depois que todos os dados forem coletados, eles precisam ser classificados em categorias. Por exemplo, todas as falhas “elétricas” podem ser agrupadas, independentemente de terem sido causadas por uma conexão frouxa ou por uma fiação defeituosa.
  3. A próxima etapa é calcular a porcentagem do total de ocorrências para cada categoria. Por exemplo, se houvesse 100 falhas elétricas e 500 falhas no total, as falhas elétricas representariam 20% de todos os problemas registrados.
  4. Depois de calculadas as porcentagens, elas podem ser plotadas em um gráfico de Pareto. As categorias devem ser…

#Como construir um gráfico de Pareto para análise de falhas

Quando se trata de falhas na máquina, há muitas coisas diferentes que podem dar errado. Para acompanhar todos os diferentes tipos de falhas e descobrir quais são as mais comuns, os engenheiros costumam usar algo chamado gráfico de Pareto.

Um gráfico de Pareto é basicamente um gráfico de barras que mostra quantas vezes cada tipo de falha ocorre. A altura de cada barra representa a frequência dessa falha específica, e as barras são dispostas da esquerda para a direita em ordem de importância. Em outras palavras, os maiores e mais importantes problemas estão sempre no lado esquerdo do gráfico, enquanto os problemas menores e menos importantes estão no lado direito.

Construir um gráfico de Pareto é, na verdade, muito simples. Primeiro, você precisa coletar dados sobre todos os diferentes tipos de falhas que ocorreram durante algum período de tempo (uma semana, um mês etc.). Depois de ter esses dados, você pode começar a construir seu gráfico.

O primeiro passo é descobrir quantas falhas no total ocorreram durante o período de tempo escolhido. Em seguida, você calcula a porcentagem que cada falha individual compôs desse número total. Por exemplo, se houvesse 100 falhas na máquina no período de tempo escolhido e 20 delas fossem devidas ao desgaste, então o desgaste seria responsável por 20% de todas as falhas da máquina.

A segunda etapa é ordenar as causas da falha das mais comuns às menos comuns. Em nosso exemplo, isso significaria ordenar as falhas da seguinte forma: desgaste, desalinhamento, peças quebradas, problemas elétricos etc.

A terceira etapa é criar um gráfico de barras com a porcentagem de cada causa de falha no eixo y e as diferentes causas de falha no eixo x. A etapa final é desenhar uma linha do canto superior esquerdo do gráfico até o canto inferior direito. Isso ajudará você a identificar quais causas (representadas por barras em seu gráfico) são responsáveis pela maioria das falhas (as barras maiores). Essas são conhecidas como “poucas causas críticas” e devem ser seu foco ao tentar melhorar a confiabilidade da máquina.

#Conclusão

Um gráfico de Pareto é uma ferramenta gráfica usada para exibir as proporções relativas de ocorrência de valores diferentes. No contexto de falhas de máquinas, os gráficos de Pareto podem ser usados para comparar e contrastar a frequência relativa de diferentes tipos de falhas. Essas informações podem então ser usadas para priorizar as ações corretivas e alocar recursos com mais eficiência.

ainda sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  • 5 Estratégias Simples para Simplificar os Processos de Manutenção Industrial
    Quando se trata de manutenção industrial, simplificar os processos pode ser a chave para aumentar a eficiência, reduzir custos e garantir um fluxo de trabalho mais suave. Neste artigo, exploraremos cinco estratégias simples, mas poderosas, que podem ajudar a simplificar os processos de manutenção em sua operação industrial. Padronização de Procedimentos: A padronização de procedimentos […]
  • Como Maximizar a Eficiência da Manutenção Industrial
    Você está procurando maneiras de melhorar a eficiência da manutenção industrial? Você veio ao lugar certo! Neste artigo, vamos explorar estratégias comprovadas que podem ajudar a otimizar sua operação de manutenção, resultando em menos tempo de inatividade, custos reduzidos e maior confiabilidade dos equipamentos. Gestão de Ativos Inteligente: A gestão eficaz de ativos é crucial […]
  • A Importância da Inspeção Visual na Rotina da Manutenção: Detectando Problemas Antes que Aconteçam
    Na complexa dança da manutenção industrial, uma das formas mais simples e eficazes de identificar problemas potenciais é muitas vezes esquecida: a inspeção visual. Embora possa parecer óbvia, essa prática muitas vezes é negligenciada em favor de métodos mais técnicos ou automatizados. No entanto, a inspeção visual desempenha um papel fundamental na detecção precoce de […]
×